03/10/2016 14:20:00

Acabaram as eleições mais diferentes que já vi



Caro leitor, debutei nesta eleição fazendo a cobertura das apurações em Coronel Fabriciano junto com alguns parceiros de jornada que tornaram minha estreia mais suave: Sandra Serafim da Rádio Vanguarda AM/Líder FM, Mayara Almeida da Rádio Educadora e Larissa do portal Olhae.net. Juntos colhemos os primeiros depoimentos dos vencedores de Coronel Fabriciano, Dr. Marcos Vinícius e Gregório da Retífica.

Como minha área é Economia, Negócios & Empregos fui direto perguntando sobre sua visão de promoção de desenvolvimento para o município, uma vez que espaço para a acomodação de novas indústrias sempre foi o gargalo para Coronel Fabriciano.

Ele acentuou a importância do comércio e que, de alguma forma, iria ampliar o empreendedorismo nessa área e comentou sobre potencial parceria com o Sebrae para tanto. Claro que o calor da vitória impede uma resposta mais elaborada e com nível de detalhamento que permitisse a explicação do “como”, mas a questão é muito complexa e os governos que passaram pela cidade não conseguiram inovar nesse sentido.

Na verdade, seja dos longínquos gestores como Rufino e Doca Pires assim perpassando por Paulo Antunes, Chico Simões e Rosângela Mendes não observamos nenhuma ação planejada e executada para a atração de investimentos estruturantes para o município. Mas, podem ficar tranquilos os supracitados, pois estão em companhia dos seus pares de Ipatinga e Timóteo. Com condições bem superiores a Fabri, os gestores de ambos municípios não conseguiram ser exemplo de desenvolvimentismo.

Há promessas de geração de emprego e renda ou, pelo menos, de coragem para o enfrentamento da perda dos postos de trabalho na cidade cujos dados apresentados por ele, são mais de 16 mil. Confesso que me preocupa quando proposições são feitas cuja conjuntura esvai a competência dos prefeitos e, na verdade, são de conjuntura nacional e pouco poderá ser feito no curto prazo em nível local. Há a percepção em seu comitê central de que muitos envolvidos na sua campanha esperam por alguém que no dia seguinte resolverá o que os 12 anos de governo petista não conseguiu.

O medo é que seja oposição ou situação essas pessoas se comportem de forma igual no que se refere às expectativas e que esperam, também, o acolhimento pelos cargos comissionados. Porém, o prefeito alerta em sua fala que pretende cortá-los para poder gastar mais com o cidadão do que com a máquina administrativa. Em resumo: suas palavras estão recheadas de esperança. Não possui vida pública anterior que o credencie a ter velocidade maior para transformação dos sonhos de uma população em realidade. Mas, vamos dar crédito. Ele terá 90 dias para organizar o pensamento e entender as engrenagens da máquina pública.

O bom de todo o processo eleitoral é que percebemos avanços: menos tempo de campanha, menos propaganda externa (outdoor, muros, painéis, etc.), menos santinhos espalhados no chão próximos aos locais de votação, menos gente persuadindo até o último minuto para votar nesse ou aquele; menos, menos, menos....

A população agradece e se surpreende com a postura firme da juíza Drª Genole Santos de Moura vinda do maravilhoso estado de Sergipe, do município de Capela próximo a Carmópolis na grande Aracajú (que até hoje tenho saudades). Ela advertiu, veemente, os 3 candidatos de fazerem o famoso “migué” indo cumprimentar, seção por seção, os voluntários da justiça. Em rede social, um deles foi colocado até em cheque se reincidisse na atitude. Vossa Excelência ganhou muitos admiradores.

NEGÓCIOS JÁ!
Não perca nesta segunda-feira, 8 e meia da noite na TV Cultura Canal 4. Na próxima semana conversaremos com o Engº. Msc Márcio Alexandre do Unileste. Ainda no quadro “Negócios Gourmet” os chefs Rodrigo Di STani e Vítor Marconi preparam uma grande surpresa! E no quadro “Show Business” a voz de Igor e Marcelo Violão e Voz.

APOIO CULTURAL: HOTEL FAZENDA DO VOVÔ, HORTIFRUTAS NORE E COMPANY ASSESSORIA EMPRESARIAL.





Envie o seu Comentário