09/12/2016 18:35:00

Copa do Brasil



Divulgação

Depois do tropeço no Mineirão, os atleticanos sabiam que dificilmente o Galo conquistaria a Copa do Brasil nesta temporada. Com uma incrível aplicação, o Grêmio ocupou os espaços e foi amplamente superior em todos os aspectos. No futebolês, Renato Gaúcho aplicou o chamado nó tático para cima de Marcelo Oliveira, fez o resultado e voltou a Porto Alegre com a vantagem de tirar proveito do regulamento no jogo de volta.

Na Copa do Brasil, ou qualquer torneio em sistema de mata-mata, com a decisão em 180 minutos, o natural seria o Atlético conseguir um resultado em casa, para forçar o adversário a sair para o jogo na decisão. Marcelo Oliveira tentou resolver a parada na primeira partida, e acabou perdendo o cargo.

Por isso, chegou cinco vezes consecutivas à decisão da Copa do Brasil, e só ganhou uma vez, com o Palmeiras. Com um treinador interino, Diogo Giacomini, o time mineiro se comportou bem melhor na Arena do Grêmio e, mesmo jogando fora de casa, foi mais lutador, mas ao final pagou pelos erros cometidos no Mineirão.

Um time com jogadores de qualidade como o Atlético montou para este ano deveria colher resultados mais expressivos. Mesmo tendo se classificado para a Libertadores do ano que vem, o time não conseguiu sequer o título do Campeonato Mineiro. Foi a primeira sinalização do erro da diretoria ao dispensar Levir Culpi para apostar no uruguaio Diego Aguirre, que realizou um trabalho bastante contestado no Internacional.

Já Marcelo Oliveira, apesar de reforços para a maioria das posições, não conseguiu dar um padrão de jogo à equipe, que oscilava muito. O ataque funcionava bem, mas a defesa sempre deixava o torcedor com o coração nas mãos.
E por causa da falta de organização, o Galo foi perdendo, um a um, todos os títulos, frustrando a sua torcida e os analistas que o apontavam entre os favoritos em todas as competições.

JOGO BENEFICENTE
Hoje é dia de comparecer ao Ipatingão para prestigiar jogadores que marcaram época no futebol profissional do Vale do Aço, na fase áurea do Tigre de Aço. O amistoso vai começar às 16h, reunindo antigos craques do Ipatinga, que se sagraram campeões mineiros pelo Ipatinga em 2005, que vão encarar a seleção dos Atletas de Cristo, que também conta com nomes muitos conhecidos do público.

O bom disso tudo é que, além de rever jogadores que deixaram saudade, o torcedor ainda praticará uma ação cidadã, ao levar dois quilos de alimentos que depois serão entregues a entidades beneficentes.

LEMBRANÇAS
Marcelo Navarro foi um dos grandes dirigentes na região, atuando com muito brilho na Aciaria. Como resultado de uma gestão marcante, o clube da Alameda conquistou vários campeonatos regionais, e as categorias de base revelaram vários jogadores. Ao lado de João Batista Hubner Guimarães, o Batistinha, Marcelo Navarro foi um dos responsáveis pelo crescimento do nosso futebol.

Contato com a coluna: roberto50mg@hotmail.com.


Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br


Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.
Envie o seu Comentário