16/12/2016 18:10:00

Bispo Dom Lara pode ter seu nome na principal avenida de Coronel Fabriciano

O Projeto de Lei nº2.751, de autoria do vereador Edem Almeida Arruda (PT), propõe mudar o nome da avenida Governador Magalhães Pinto para Dom Lélis Lara



Wôlmer Ezequiel


Projeto de lei pode alterar o nome da Avenida Governador Magalhães Pinto de Coronel Fabriciano


A Câmara Municipal de Coronel Fabriciano recebeu o Projeto de Lei nº2.751, de autoria do vereador Edem Almeida Arruda (PT), que propõe mudar o nome da avenida Governador Magalhães Pinto, uma das principais vias da cidade, para Dom Lélis Lara. A proposta gerou muita discussão entre os moradores da cidade, principalmente nas mídias sociais. O vereador explicou, em entrevista ao Diário do Aço, que muitos grupos de pessoas, inclusive religiosos, propuseram mudar o nome da avenida para homenagear o bispo emérito da Diocese de Itabira-Coronel Fabriciano, Dom Lélis Lara, que morreu dia 8 passado, em tratamento de uma pneumonia.

“Essa ideia não surgiu porque é minha opinião, mas, sim por ser vontade de muitas pessoas. Eu até reconheço que pode gerar muitos problemas com a mudança do nome da avenida, mas devemos ouvir os grupos a favor e contra, porque é importante realizar debates em uma sociedade democrática”, esclarece o vereador, em relação à discussão sobre o projeto de lei. A reportagem do Diário do Aço foi à avenida em questão ouvir os moradores e comerciantes, que se mostram divididos em relação à proposta.


Neiva Magalhães, aposentada, a favor. “Dom Lara foi um grande homem aqui na cidade. Ele amava Coronel Fabriciano. Ele adorava o povo. Todo mundo gostava dele. Então, ele merece ter o nome dele na avenida”.

Cláudio Matos, Técnico Segurança do Trabalho, contra. “Sou contra por que todo mundo já está acostumado. Só porque Dom Lara morreu vai colocar o nome dele. Por que não fizeram isso antes, enquanto estava vivo?”



José Benedito de Araújo, moto-taxi, a favor. “Sou a favor porque Dom Lara foi um bispo marcante, a favor dos pobres, dos necessitados. A gente lamenta muito a falta dele. Um camarada de Deus”.

Samuel Pereira, comerciante, contra. “Totalmente contra. Ridículo. Essa é a Magalhães Pinto. Essa avenida aqui é conhecida pela cidade e por Minas Gerais toda, praticamente. Eu e muita gente não concordamos”.



Paulo Francisco Xavier, carpinteiro, contra. “Acho que precisa mudar, não. Deixa o nome do jeito que está. Bobeira mexer”.

Jésus Barbosa, comerciante, a favor. “Dom Lara prestou um trabalho muito bonito a Coronel Fabriciano. Acho digno isso. Não vai causar prejuízo nenhum, pelo menos fica o nome de uma pessoa que a população conhece”.



Sérgio Francisco Talles, mecânico, a favor. “Dom Lara é uma pessoa muito conhecida. Ele fez meu casamento. Batizou meus filhos. Frequentava muito a minha casa. Era amigo da minha família”.

Anderson Silva Melo, pedreiro, contra. “Sou contra porque eu cresci na cidade. Desde que eu me conheço por gente, essa avenida tem esse nome. E a identidade dela é essa, não acho interessante a gente ter que mudar a concepção do nome”.




Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br


Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.
Comentários

Lerildo R

20 de Dezembro, 2016 | 13:41
Pessoal ao invés de mudar um nome tradicional, com muito respeito ao Bispo Dom Lara, acho que teriam que estudar o trânsito nessa avenida ela está saturada e muito perigosa a ciclistas, pedestres e motoristas Está muito apertada, mau cabe os carros e ainda tem motos e bicicletas competindo por um pequeno espaço. Que tal criar uma ciclovia? ou um faixa só,( de rolamento)?

Djalma Paizante Neto

18 de Dezembro, 2016 | 11:25
Tanta coisa pra preocupar e esse ze querendo mudar o nome de uma avenida que que ja deve ter quase ou mais de cem anos faça me o favor.

Gustavo

17 de Dezembro, 2016 | 18:27
Vereador vai procurar algo proveitoso para fazer com o seu mandato. Mudar nome de rua não resolve problema de ninguém. Vai fazer palestras nas escolas igual você fazia antes de falar que não iria mexer com política.

Marco Antonio Miranda

17 de Dezembro, 2016 | 14:14
"Coronel Fabriciano, sempre primou pela falta de criatividade ao batizar os seus bairros, exemplo: Caladinho de Baixo, Caladinho de Cima, Caladinho do Meio e Caladão. Acho justo homenagear um Arcebispo que aqui morou, e contribuiu por serviços relevantes na cidade. Para não criar polêmica entre a população, uma sugestão: Temos uma Avenida no Centro, batizada com nome de Sanitária ( lembra água Sanitária, tal a falta de originalidade) . Trocar o nome da tal avenida para Arcebispo Dom Lelis Lara. A cidade e o nome de tão emérito cidadão, daria uma nota digna de uma avenida tão trafegada como a tal avenida água sanitária ( me perdoem os senhores, nunca gostei deste nome) releva ao ridículo a criatividade do povo desta cidade. Obrigado.

Marco Antonio Miranda

17 de Dezembro, 2016 | 14:11
"Coronel Fabriciano, sempre primou pela falta de criatividade ao batizar os seus bairros, exemplo: Caladinho de Baixo, Caladinho de Cima, Caladinho do Meio e Caladão. Acho justo homenagear um Arcebispo que aqui morou, e contribuiu por serviços relevantes na cidade. Para não criar polêmica entre a população, uma sugestão: Temos uma Avenida no Centro, batizada com nome de Sanitária ( lembra água Sanitária, tal a falta de originalidade) . Trocar o nome da tal avenida para Arcebispo Dom Lelis Lara. A cidade e o nome de tão emérito cidadão, daria uma nota digna de uma avenida tão trafegada como a tal avenida água sanitária ( me perdoem os senhores, nunca gostei deste nome) releva ao ridículo a criatividade do povo desta cidade. Obrigado.

Marcos Guimarães

17 de Dezembro, 2016 | 11:26
Não seria justo em um período de tamanha crise, que se gastasse o suado dinheiro do Trabalhador fabricianense , somente em razão da homenagem ao falecido Dom Lara. Nas chuvas os muitos bairros ficaram alagados, outros moradores, perderam todos os seus bens, a escalada da violencia, por que faltam viaturas, ruas esburacadas, etc
Nosso povo precisa de infra estrutura já. Poupem esse dinheiro e cuidem do bem do povo, que é seu bem estar.

Mary Matoso

16 de Dezembro, 2016 | 22:54
Abram os olhos. A intenção não é homenagear a memória de Dom Lara, mas sim, de retirar o nome do governador do período de Regime Militar. Acordaaaaaa!

Gildázio Garcia Vitor

16 de Dezembro, 2016 | 20:26
O Dom Lara, que apesar de ter sido um Guerreiro, era um conciliador, portanto, não iria aprovar essa divisão entre os fabricianenses que ele tanto amava. Além disso, ele merece ser homenageado com algo mais nobre, como, por exemplo, uma Escola ou um hospital, do que ser substituto em nome de logradouro que já serviu para homenagear um dos líderes civis da Ditadura Civil-Militar.

João Fagundes Neto

16 de Dezembro, 2016 | 20:05
Escolhe alguma avenida de bairro novo na cidade para dar o nome do Dom Lara, ou alguma nova praça ou nova escola, tirar o nome de uma avenida antiga e conhecida é de uma idiotice sem fim.
Envie o seu Comentário