26/12/2016 12:30:00

Empresária de SP cria bonecas que fogem do padrão e conquista clientes


As chamadas bonecas inclusivas são de todas as raças e cores.
Empresária transformou antigo desejo da infância em fonte de renda.



Bonecas criadas por Preta Pretinha


Fonte: G1

Uma empresa em São Paulo fabrica brinquedos que ajudam a deixar o mundo melhor, para a criançada aprender, desde pequenininha a não ser preconceituosa. São as chamadas bonecas inclusivas, que são de todas as cores e raças.

Uma empresária de São Paulo decidiu investir num sonho de infância e fazer bonecas de pano que fogem do padrão das grandes indústrias. “Na minha infância, eu queria a boneca negra para levar na escola, nos passeios, como extensão da minha família. Quando éramos pequenas, no dia do brincar, podia levar boneca e no Brasil os papais não encontravam, aí a vovó tinha que confeccionar pra gente poder realizar o sonho de ter a referência nossa, de conduzir a boneca negra”, conta a empresária Antônia Joyce Venâncio.

Foram anos convivendo com essa falta de opção no mercado. Algo que nunca saiu da cabeça da Joyce que, depois de perder o emprego, decidiu transformar em fonte de renda aquele antigo desejo da infância.

“’Pensei: poxa vida, começar tudo de novo? Foi nesse momento que eu tive o insight, trazer o sonho de infância para o presente. Chamei minhas irmãs, porque não era um sonho só meu, para saber o que elas achavam da ideia, e foi aprovadíssimo, elas estavam empregadas na época, mas me apoiaram muito e aí começou a grande ideia.”

As irmãs começaram a trabalhar juntas e decidiram focar num nicho pouco explorado no mundo dos brinquedos: o da inclusão. São vários tipos de bonecas que também não existiam no mercado.

Há 16 anos, o investimento inicial foi de R$ 10 mil. “Eu resolvi comprar máquinas usadas, eu também observava muitas mulheres que gostariam de trabalhar para ajudar na renda familiar, e tinha máquina de costura em casa, aí eu resolvi chamar essas mulheres, fazer entrevista, para saber se elas tinham habilidade, respeito e carinho pelo artesanato porque não é só você fazer, você tem que ter envolvimento”, conta Joyce.

Além das bonecas negras, que são o carro-chefe, as bonecas sobrepeso encantam. “As pessoas gostam muito dela. Tem até celulite se você observar”, fala a empresária.

“O fato de elas terem sentido na pele todas as dificuldades de ser uma criança afrodescendente em uma sociedade que é ditada por padrões europeus e caucasianos, ajuda com que elas desenvolvam um produto que é, de fato, importante, relevante para esse consumidor ou cliente, afirma a consultora Cecília Andreucci.

Prova disso é que além das vendas para o consumidor comum, muitas escolas já usam bonecas para ajudar a conscientizar os alunos sobre problemas como o bullying e a inclusão social.

Em uma escola de São Paulo, as crianças mostram que o preconceito não tem vez. As crianças adoram brincar com as bonecas inclusivas. “Nós trouxemos os bonecos porque é muito melhor você trabalhar com o lúdico com a criança. Com o lúdico, a criança se sente no lugar daquele personagem, explica a orientadora educacional Ivone Strassacappa.

Os bonecos das irmãs Venâncio custam entre R$ 25 e R$ 150. O preço varia se o cliente quiser encomendar um boneco personalizado. Mas todos, sem exceção, são produzidos de forma 100% artesanal.

Por causa do papel social, os bonecos das empresárias já são conhecidos até fora do país. “Isso para mim é importantíssimo, tanto os negros, quanto os deficientes e os diversos, então nós estamos num nicho pouco explorado. E fazendo a diferença. E a função do empreendedor é essa, ele cria, ele está sempre inovando. Não vamos parar por aí. Nós queremos atingir o mundo, e nós vamos conseguir”, deseja Joyce.




Envie o seu Comentário