03/01/2017 19:22:00

Como será?


Divulgação

No Vale do Aço, há uma enorme expectativa a respeito de como será o desempenho dos prefeitos recém-empossados, no atendimento a todas as demandas e, naturalmente, em relação às atividades esportivas. Tomara que, nos próximos quatro anos, esse segmento seja tratado sob um novo enfoque.

Afinal, investir na massificação do esporte é encaminhar muitas crianças e jovens na direção da saúde e da cidadania plena. Que as entidades tenham autonomia para realizar as suas competições, e os convênios sejam cumpridos integralmente. O apoio ao esporte foi promessa de campanha de todos os candidatos. Que sejam honradas!

Em Ipatinga, 2016 deixou muito a desejar no campo esportivo. Por falta de apoio, a LDI teve de limitar o número de competições, e algumas só foram viabilizadas graças ao benefício da renúncia fiscal das empresas, permitindo que as categorias de base se mantivessem atuantes.

É preciso que os secretários da área entendam que o esporte na região movimenta um grande número de atletas, dirigentes, familiares e também o comércio. E, sobretudo, entender que o esporte é um investimento social. Assim, que se empenhem em nome dos dirigentes das entidades, a fim de que não haja dificuldades ao cumprimento dos calendários.

É claro que não se pode ignorar o quadro de dificuldades à espera daqueles que acabam de assumir o poder, mas igualmente é importante que digam a que vieram, aliando criatividade e competência. Nesse contexto, se o esporte não merecer o status de prioritário, muito menos pode ser relegado ao esquecimento como ocorreu nos últimos governos das cidades da RMVA.

O primeiro passo no sentido de mostrar que estamos evoluindo, sem dúvida, será o aproveitamento racional de ginásios e quadras existentes e que há muitos anos se transformaram em elefantes brancos.

Portanto, um novo jogo está começando. Que os novos prefeitos e secretários façam muitos gols em prol da sociedade e do esporte.

FUTEBOL NO ESQUECIMENTO
De acordo com notícias de desportistas de Belo Oriente, devido à falta de apoio ao futebol amador, a Liga de Desportos da cidade não realizou o campeonato na temporada de 2016. Agora, todos esperam que a nova administração consiga dar um novo rumo às coisas e contemple o esporte.

Em meio a esse descaso do poder público, deve-se destacar a disputa do torneio de futsal, graças a dois desportistas, Everton e Vander, de São Sebastião de Braúnas, que assumiram a competição.
Outro evento foi a Copa Nantes de Futsal. O empresário Cleiton Nantes se empenhou para viabilizar a competição, realizada com muito êxito.

Muitos campos estão em situação de penúria. No de Braúnas, onde funcionava um projeto que atendia mais de 100 crianças, uma obra inacabada obrigou à paralisação das atividades. Há uma grande expectativa com o novo prefeito, Hamilton Rômulo, retome o apoio ao esporte. Belo Oriente sempre revelou bons jogadores, e a reestruturação dos clubes será um ganho importante para a região.

É preciso que os políticos entendam que trabalhar de forma responsável na saúde, educação e esporte é o investimento que trará melhor retorno no futuro.

MINEIROS
“O tempo ruge”, e Atlético e Cruzeiro continuam tentando contratar jogadores de destaque para a próxima temporada. No time celeste, parece que a missa pelo 96º aniversário operou um pequeno milagre. Gilvan anunciou o acerto com Thiago Neves.

O presente, até ontem à tarde, estava incompleto. Faltava a liberação do Al Jazira, dos Emirados Árabes Unidos, para oficializar a vinda do armador por três temporadas. Já o atacante Marcelo Moreno continua na mira, mas há chineses na jogada. Thiago Neves permitirá a Mano Menezes ter boas alternativas para montar um bom meio-campo e um ataque mais dinâmico.

No Atlético é avançar e recuar sem fim. Depois de dispensar Júnior Urso e perder Leandro Donizete para o Santos, o clube terá de agir mais rápido para recompor o setor de marcação. E ainda corre o risco de perder Lucas Pratto para o futebol europeu.

Fred e Robinho também estariam avaliando algumas propostas e, quando a grana entra na jogada, o desfecho é previsível, sempre justificado pelo desejo de “garantir o futuro da família”. Já o atacante Clayton, apesar das atuações sem brilho na última temporada, deve ir para o Santos, a pedido de Dorival Júnior. E Rafael Carioca é sondado pelo futebol chinês.

Assim, em vez do excesso de jogadores à disposição, Roger Machado provavelmente terá de improvisar neste início de temporada. E não custa lembrar que a Libertadores começa em março. O Atlético não precisava “correr atrás”, com o elenco que terminou a temporada do ano passado. Mas essa situação já não é mais tão tranquila.

LEMBRANÇAS
Apesar de ter apenas uma edição, a Copa Verão de Futsal continua na memória dos torcedores. O evento, na década de 1990, com representantes de mais de 20 cidades do interior de Minas Gerais, transformou Ipatinga na capital da modalidade ao longo de 40 dias. O público vibrou com os timaços de Ipatinga, Governador Valadares, Itaúna, Itabira, Teófilo Otoni, Nova Era, Coronel Fabriciano, Timóteo, Caratinga, João Monlevade, Inhapim, Sabará, Congonhas e Ouro Preto. O título ficou com Governador Valadares, após decisão sensacional contra a seleção de Ipatinga.

Contato com a coluna: roberto50mg@hotmail.com.




Envie o seu Comentário