05/01/2017 16:49:00

Feliz Ano Novo

Célio Pezza





Entre os povos do nosso mundo é costume no final de ano desejar um Feliz Ano Novo, mas o que isto realmente significa? Falamos a mesma frase desde há muito tempo, mas o mundo não parece estar mais feliz a cada ano que passa. Basta seguirmos as notícias do dia a dia pelo mundo e constataremos esta triste verdade.

Continuamos a ter milhões de pessoas morrendo de fome ou doentes pela falta de uma nutrição mínima adequada, milhares sem teto perambulando pelas ruas, drogados em todos os cantos do planeta, pilhas de mortos e mutilados pelas guerras, famílias desesperadas pelo fantasma do desemprego e falta de futuro digno, desastres ambientais criminosos de todas as espécies e assim por diante.

Olhem para a Síria, olhem para Alepo e tirem suas conclusões. O que está errado? Todos desejam Feliz Ano Novo, mandam cartões, trocam presentes e o novo ano piora um pouco mais no aspecto global. Evidentemente, para muitos o ano melhora e tudo de bom acontece, mas o questionamento é em relação ao planeta como um todo, olhando para todas as regiões onde exista um ser humano profundamente necessitado.

O que está errado? Por que simplesmente assistimos o mundo desmoronar? Desejamos um Feliz Ano Novo e continuamos a ser o mesmo de sempre? Desejamos um Feliz Ano Novo e continuamos o mesmo preconceituoso e intolerante de sempre? O que está errado? Será que, infelizmente, este “Feliz Ano Novo” é somente uma frase pronta que repetimos da boca para fora no final do ano? Faz parte da nossa cultura, repetir como papagaios e mandar cartões e mensagens das mais variadas formas? Será que é isto? Somos papagaios repetidores de frases? Para ser de verdade um ano novo feliz, precisamos uma coisa fundamental: mudarmos nós mesmos.

Não nos preocuparmos em repetir frases prontas ou mandar e-mails bonitos e cheios de estrelinhas piscando ao redor de taças de champanhe. O Ano Novo ou Réveillon é a celebração do término de um ano e o início de outro. A palavra réveillon significa acordar, despertar. Vamos neste final de ano, deixar de lado os preconceitos, mesquinharias, o ódio, a ignorância, a maldade, a brutalidade, o desamor e a intolerância. Desta forma, quem sabe, teremos um Feliz Ano Novo de verdade. Feliz Despertar a todos!

*É escritor e autor de diversos livros, entre eles: As Sete Portas, Ariane, A Palavra Perdida e o seu mais recente A Tumba do Apóstolo. www.facebook.com/celio.pezza






Envie o seu Comentário