11/01/2017 14:01:00

Nota técnica da Secretaria de Estado da Saúde amplia área para vacinação contra a febre amarela

Além das áreas com registro de contaminação também os municípios no entorno deverão ter campanha de vacinação em massa



Enviada WhatsApp Diário do Aço


As filas para vacinação contra febre amarela crescem por todos os lados e postos estão no limite com o fornecimento das doses

Em nota divulgada na tarde desta quarta-feira (11), a Secretaria de Estado da Saúde amplia a área onde deverão ser desenvolvidas ações contra a febre amarela.

Em municípios do estado de Minas Gerais com casos suspeitos de febre amarela em humanos e ocorrências de mortes de macacos, a vacinação em domicílio já foi iniciada. Segundo a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais, a ação domiciliar está sendo feita primeiramente nas casas onde foram registrados os casos suspeitos e no entorno destas, até que atinja todo o município.

Ainda de acordo com o órgão, as cidades onde foram registrados casos suspeitos de febre amarela são: Ladainha, Malacacheta, Frei Gaspar, Caratinga, Piedade de Caratinga, Imbé de Minas, Entre Folhas, Ubaporanga, Ipanema e Inhapim.

Até esta segunda-feira, Minas Gerais dispunha de cerca de 300 mil doses em estoque, mas outras 285 mil doses estão previstas para Minas Gerais para imunizar a população do estado.

Agora, além da área onde foram registrados casos de contaminação com seis mortes oficialmente relacionadas aos casos suspeitos de febre amarela, outros municípios estão sob recomendação da prevenção.

A Nota Técnica de Intensificação e Orientação de Vacina Febre Amarela inclui as regiões ampliadas que deverão realizar a ação de intensificação. Na lista estão cidades das regionais de saúde de Governador Valadares, Teófilo Otoni, Manhumirim e Coronel Fabriciano.

Veja, abaixo, a relação dos municípios subordinados à Gerência Regional de Saúde de Coronel Fabriciano, onde a população deverá receber a vacinação:

Área atingida atualmente
CARATINGA
ENTRE FOLHAS
IMBÉ DE MINAS
INHAPIM
PIEDADE DE CARATINGA
UBAPORANGA

Área ampliada
(Área limítrofe à área atingida, sem a ocorrência de notificação de casos em homanos e macacos)

BOM JESUS DO GALHO
BUGRE
IAPU
IPABA
IPATINGA
SANTA BÁRBARA DO LESTE
SANTANA DO PARAÍSO
SANTA RITA DE MINAS
SÃO DOMINGOS DAS DORES
SÃO JOÃO DO ORIENTE
SÃO SEBASTIÃO DO ANTA
TIMÓTEO
VARGEM ALEGRE

Tem dúvidas sobre a febre amarela? Clique aqui e saiba mais


UBS do bairro Bom Retiro, em Ipatinga: filas de pessoas em busca da vacina

Unidades de saúde têm cronograma de distribuição da vacina em condições normais. Superlotação estava fora da agenda



Unidades de saúde estão superlotadas em Ipatinga

Nesta quarta-feira, as unidades de saúde de Ipatinga ficaram superlotadas. Preocupadas com a divulgação das informações sobre pacientes com a febre amarela e casos de mortes, centenas de pessoas foram para as unidades de saúde. No bairro Bom Retiro, por exemplo, faltou vacina.

Mães, desesperadas, enviaram fotos para a redação do Portal Diário do Aço em que pediam para denunciar o caos que enfrentavam na fila, sem respostas.

Na tarde de terça-feira, a Secretaria de Saúde de Ipatinga divulgou a informação com o seguinte cronograma de vacinação:

A vacina é gratuita e tem validade de dez anos. O cronograma para as Unidades Básicas de Saúde, em Ipatinga, é o seguinte. Na quarta-feira (11) a vacina é disponibilizada nos postos de saúde de Bom Retiro, Iguaçu e Veneza.

Na quinta-feira (12) é a vez dos postos do Bethânia, Vila Celeste e Esperança I. Na sexta-feira a vacina é ofertada para os bairros Barra Alegre, Cidade Nobre, Caravelas e Nova Esperança.

Os bairros Canaã, Limoeiro e Vila Militar possuem a segunda-feira como dia de vacinação contra a doença. Já na terça-feira são contemplados os postos de saúde do Bom Jardim, Esperança II e Vale do Sol.

FEBRE AMARELA - QUE DOENÇA É ESSA?

Por Dra. Mônica Levi

1. O que é febre amarela?

É uma doença febril aguda, potencialmente grave, causada por um vírus da família dos Flavivírus, o vírus da febre amarela.

2. Como se adquire a doença?

O vírus é transmitido pela picada de um mosquito infectado, do gênero Aedes, o mesmo que transmite a dengue.

3. Quais são os sintomas da doença?

Os sintomas variam desde formas assintomáticas ou pouco sintomáticas, similares a um quadro gripal, até formas graves, potencialmente fatais.

Os sintomas clássicos da doença incluem: febre alta, mal estar, dor de cabeça, dores musculares, prostração, náuseas e vômitos. Após três a quatro dias, remissão da febre e melhora dos sintomas evoluindo para cura em cercas de 85% dos casos.

Já nas formas graves (cerca de 15% dos casos) dá-se início uma segunda fase com icterícia, instalação de insuficiência hepática e renal, podendo ocorrer acometimento neurológico e coma. A mortalidade é elevada para os que evoluem para essa segunda fase, chegando até 50%.

4. Quem deve ser vacinado?

Recomenda-se vacinar toda a população brasileira residente em áreas de risco a partir dos nove meses de vida e aqueles que viajarem para regiões de risco dentro ou fora do Brasil.

Alguns países fazem exigência do certificado de vacinação para entrada no país (CIVP), de viajantes provenientes de regiões endêmicas, como o Brasil. Nesses casos, viajantes também deverão receber a vacina por exigência governamental do país de destino.

5. Quais são as regiões de risco?

São várias, e obedecem a critérios epidemiológicos dinâmicos. Você pode se informar a esse respeito através dos órgãos públicos (sites do Ministério da Saúde e das Secretarias Estaduais e Municipais), ou nos vários serviços públicos e privados de Medicina do Viajante.

6. O que é a vacina febre amarela?

É uma vacina constituída de vírus vivo atenuado. Apresenta eficácia acima de 95% e a proteção persiste por 10 anos ou mais.

A vacina é aplicada em dose única de 0,5ml subcutânea.

O Ministério da saúde recomenda revacinação a cada dez anos.

7. Quais os eventos adversos após a vacinação?

Os eventos adversos comuns ocorrem em 2% a 5% dos vacinados entre cinco e 10 dias após vacinação e geralmente são leves: dor de cabeça, dor muscular, febre.

Reações alérgicas leves são ocasionais e relacionadas com reação à proteína do ovo. Reações anafiláticas são muito raras ( 1: 350.000 doses aplicadas) e afetam principalmente pessoas com alergia intensa a ovo.

Os eventos adversos graves, como acometimento do sistema nervoso ou disseminação do vírus vacinal pelo organismo, felizmente são raros ( 1:250.000 – 1:1.000.000 de pessoas vacinadas) e parecem ocorrer com frequência maior em pessoas com idade acima de 60 anos, que recebem a vacina pela primeira vez.

8. Quem NÃO pode ser vacinado?

As contraindicações para vacinação contra febre amarela são:

· Idade menor que seis meses

· Hipersensibilidade a algum dos componentes da vacina

· Portadores de imunodeficiências

Existem situações de precaução, nas quais a indicação da vacinação deve ser ponderada entre risco e benefício:

· Idade entre seis e oito meses

· Idade ≥ 60 anos

· Infectados pelo vírus HIV

· Gestantes

· Mulheres amamentando crianças menores de seis meses





Envie o seu Comentário