11/01/2017 15:37:00

Administração de Timóteo tranquiliza população sobre Febre Amarela

Cidade não tem casos suspeitos da doença registrados até o momento


Divulgação


A vacina contra a Febre Amarela é disponibilizada nas unidades de saúde para a população mais exposta
As notícias dos últimos dias de surto de Febre Amarela em algumas cidades de Minas Gerais, incluindo Caratinga, com vários casos suspeitos da doença sendo atendidos nos Hospitais, provocaram uma corrida da população às unidades de saúde em busca da vacina em Timóteo. Segundo balanço da Secretaria de Saúde, somente na terça e quarta-feira foram distribuídas mais de 400 doses em oito das unidades de saúde do município.

A vacina contra a Febre Amarela é disponibilizada nas unidades de saúde para a população mais exposta, que tem prioridade no programa de imunização do Ministério da Saúde como as crianças entre 09 meses e 4 anos e aquelas pessoas que, comprovadamente, vão viajar para locais com epidemia e riscos a infecção pela doença.

Timóteo não tem registrado nenhum caso suspeito da doença. O prefeito Geraldo Hilário informou que a Secretaria Municipal de Saúde está atenta em relação ao problema e disse que não há motivo para alarde pela população porque não há surto de Febre Amarela em Timóteo e no Vale do Aço. “Estou mais preocupado com o tumulto provocado com a corrida das pessoas às unidades de saúde do que propriamente com a Febre Amarela”, comentou o prefeito.

Nesta quinta-feira (12), o Prefeito Geraldo Hilário vai a Belo Horizonte participar de reuniões, inclusive na Secretaria de Estado da Saúde em busca do repasse de um volume maior de lotes com doses de vacina. Segundo o secretário de Saúde, Cézar Luz, o quadro de cobertura vacinal da população do município relativo ao último ano não é bom e o objetivo é garantir o estoque para melhorar os números. “Nossa cobertura atual que deveria ser de 100% está em 65%, a pior dos últimos 5 anos. Em crianças de 9 meses e 4 anos a cobertura está ainda mais baixa, de 56%, um índice pior ainda”, destacou César Luz citando dados da Superintendência Regional de Saúde – SRS.

A Febre Amarela é uma doença transmitida por mosquitos em áreas urbanas e silvestres. Nas áreas florestais, o transmissor é o Haemagogus ou o Sabethes. Já no meio urbano, nas cidades, a transmissão se dá através do mosquito Aedes aegypti, o mesmo da dengue, mas somente se ele estiver infectado. Cesar Luz lembra da importância de manter os cuidados em relação à eliminação de focos do mosquito Aedes. Para identificar os locais de maior infestação e realizar um combate mais eficaz aos focos, a secretaria de Saúde realiza esta semana o LIRAa – Levantamento do Índice Rápido de Infestação do Aedes aegypti.

Leia mais:
Autoridades anunciam plano de ação contra febre amarela
Nota técnica da Secretaria de Estado da Saúde amplia área para vacinação contra a febre amarela
Sobe para seis número de vítimas de febre amarela na região
Casos de febre hemorrágica mobilizam órgãos de saúde na região




Envie o seu Comentário