12/02/2017 10:14:00

Monitoramentos ambientais adequados

Resultados destacam manejo florestal praticado pela Cenibra na região da APA Caratinga



ACS Cenibra

Há mais de 40 anos a Cenibra está presente no Leste de Minas Gerais, contribuindo de forma significativa para o desenvolvimento da região. As práticas de manejo empregadas pela empresa buscam o equilíbrio entre a execução das atividades produtivas e o meio ambiente.

E em reconhecimento aos padrões de excelência de seus processos, além das certificações pelas normas ISO 9001, ISO 14001, e ISO IEC 17.025, a Cenibra possui também as certificações do Forest Stewardship Council - FSC® e do Programa Nacional de Certificação Florestal (CERFLOR). Estas são organizações independentes, compostas por representantes dos setores ambiental, econômico e social, e que estabelecem os princípios e critérios de manejo florestal sustentável.

A empresa maneja uma área total de 254 mil hectares, sendo 51% de plantio de eucalipto; 41% de áreas destinadas à conservação da biodiversidade e recursos naturais (preservação permanente, reserva legal e floresta nativa, em mais de 100 mil ha); e o restante em áreas destinadas a infraestrutura e outros usos.

A Cenibra utiliza uma ferramenta de Planejamento Técnico, Econômico, Ambiental, Social e de Saúde e Segurança (PTEAS), que tem como premissa básica a visão da inserção do projeto florestal no contexto da paisagem, ao nível da bacia hidrográfica.

ACS Cenibra

Assim, os aspectos mais importantes relacionados às atividades da empresa são identificados e analisados, de modo que passivos legais, conflitos sociais, impactos sobre a fauna, flora e recursos hídricos, e os riscos à saúde e segurança do trabalhador e das comunidades, sejam prevenidos e minimizados, usando sempre as melhores opções técnicas e econômicas disponíveis.

Também é importante destacar os plantios em forma de mosaico, com as áreas de eucalipto se misturando às áreas de reserva e de preservação permanente e criando uma condição adequada para a manutenção da qualidade ambiental da região.

Na região da APA Lagoas de Caratinga, no município de mesmo nome, a empresa possui uma área total de 13.452,83 hectares (ha), sendo 6.473,42 ha de plantio de eucalipto (o que corresponde a 48% da área total) e 5.125,76 ha (38% da área total) de áreas de matas nativas, que fornecem suporte a uma rica fauna silvestre e proteção a nascentes e corpos d’água. O restante, 1.853,65 ha (14%), engloba área destinada para infraestrutura (estradas, aceiros) e corpos d’água (lagoas naturais que compõem o sistema lacustre do médio rio Doce).

A empresa realiza há mais de 10 anos o monitoramento sistemático das espécies de aves e mamíferos de médio e grande porte em suas propriedades. Este trabalho visa identificar a ocorrência de espécies endêmicas, raras e/ou ameaçadas de extinção, coletar informações sobre biologia e relações ecológicas das espécies, identificar a ocorrência de espécies de aves migratórias ou que realizam deslocamentos sazonais, gerando informações para divulgação, em estímulo à proteção e conservação da fauna e dos ambientes naturais.

ACS Cenibra

Na APA Lagoas de Caratinga foram registradas até agora 186 espécies de aves e 36 espécies de mamíferos de médio e grande porte, das quais uma espécie de ave e 10 de mamíferos estão ameaçadas de extinção.

Os resultados demonstram que a diversidade de biótopos preservados pela Cenibra, florestal, campestre ou de ambientes aquáticos (lacustres e brejosos), associados às práticas de manejo da empresa, oferecem importantes recursos para conservação da fauna, com locais para abrigo, nidificação, reprodução e dessedentação, contribuindo para a riqueza avifaunística e mastofaunística evidenciada pelos monitoramentos em campo.

O destaque é o Sagui-da-Serra (Callithrix flaviceps), acompanhado desde o ano de 2003 pela equipe de biólogos que conduz o monitoramento ambiental em áreas da empresa.

A identificação e observação continuada da espécie evidencia que as práticas de manejo da Cenibra, refletidas na qualidade ambiental de suas áreas, permitem que espécies da fauna silvestre brasileira, sobretudo as dependentes florestais, possam cumprir seu ciclo ecológico garantindo a manutenção de populações autóctones viáveis. Vale ressaltar, ainda, que Callithrix flaviceps é uma espécie endêmica restrita a um trecho pequeno de Mata Atlântica do Sudeste do Brasil e por isso, é uma espécie naturalmente rara.

Dessa forma, pode-se afirmar que a presença do Sagui-da-Serra e de várias outras espécies ameaçadas reflete o bom manejo e a qualidade ambiental das áreas da empresa, uma contribuição à conservação ambiental devidamente reconhecida pela sociedade.


Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br


Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.
Envie o seu Comentário