12/02/2017 10:23:00

Agricultura familiar incentivada

Qualidade de vida e renda extra para os pequenos produtores no interior de Minas Gerais



Divulgação/Emater-MG


A biscoitaria em Glaucilândia é um enorme sucesso
A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agrário (Seda) e a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG), junto com o Governo Federal, garantem melhores condições de vida a 12 mil famílias de agricultores e produtores rurais em 476 municípios mineiros, beneficiados pelo programa Brasil Sem Miséria (BSM).

Destinado a agricultores familiares em situação de extrema pobreza, com renda per capita de até R$ 85 por mês e incluídos no Cadastro Único do Governo Federal, o Brasil Sem Miséria fornece aos beneficiários o valor de R$ 2,4 mil a fundo perdido para investimento em um projeto produtivo.

Os extensionistas da Emater ajudam as famílias a elaborar os projetos, dão assistência técnica na implantação da atividade e orientações sobre a comercialização. Os técnicos da Seda executam o termo de cooperação e fiscalizam o programa.

Divulgação/Emater-MG


Conceição Aparecida comemora o novo salão de beleza
Em Itambacuri, no Território Mucuri, Maria da Penha Nascimento, 43 anos, reformou sua antiga fábrica de farinha. “O espaço estava muito ruim, eu quase não conseguia mais produzir a farinha de mandioca, que é a minha principal fonte de renda”, conta Maria da Penha. “Agora eu gasto menos e produzo mais. Consigo vender uma média de seis sacos de farinha por mês, antes não chegava a isso. Foi muito bom pra mim”, afirma.

Os projetos não precisam ser necessariamente ligados à agropecuária. Em Glaucilândia, no Território Norte, um grupo de cinco pessoas se uniu para montar uma biscoitaria, no Centro Comunitário da cidade. Os produtos – biscoitos, roscas e bolos – são vendidos no Centro Comunitário e também de porta em porta na cidade.

Em Barra do Ipê, em Capelinha, Vale do Jequitinhonha, Conceição Aparecida Alves, 30 anos, montou um salão de beleza na propriedade rural, onde agora trabalha em conjunto com o marido José Alves, 39 anos. A principal fonte de renda do casal está nas lavouras de café, milho e feijão.

Com a assistência técnica da Emater-MG e o recurso do Brasil Sem Miséria, foi montado o salão de beleza bem estruturado. O casal também participou de cursos de aprimoramento e oferece seus serviços no salão após as 17 horas e aos finais de semana, para não prejudicar o trabalho na lavoura.


Reação dos Leitores





Envie o seu Comentário