16/04/2017 09:44:00

Se o governo tiver coragem

José Antônio Puppio



Divulgação

Vivemos em um país maravilhoso. O Brasil é um país repleto de riquezas naturais, com 60 % de seu território coberto por vegetação, enquanto países como EUA, Canadá, Rússia, China e Austrália, que possuem extensão territorial semelhante à nossa, só conseguem aproveitar entre 40 e 60% do seu território, uma vez que o restante é coberto por grandes extensões geladas ou desérticas, sem condições de aproveitamento.

Ocorre que não basta ter, mas é preciso saber aproveitar os recursos naturais, transformando-os em riqueza para a Nação, e o povo brasileiro necessita estar atento às atitudes e transparência administrativa do governo em suas ações.
Só assim será possível resgatar o valor das riquezas naturais. Hoje podemos dizer que a nossa democracia deu sinais claros de uma vitalidade, mostrando um amadurecimento nesses tempos difíceis que atravessamos.

E o momento atual pode ser considerado como o pior momento histórico representado pela maior crise vivida em território nacional nos últimos 80 anos. A nefasta combinação das crises política e econômica, que no dia a dia deixa todos os brasileiros sufocados, traz consequências desastrosas para o país. Podemos citar alguns exemplos:

- A: nossa imagem  no exterior fica no chão como casos de Eike, Cabral, Cunha, Zé Dirceu etc.
- B: O esvaziamento do dinheiro  público (arrecadação paga pela população com seu trabalho suado) por desvios e roubos.
- C: 13 milhões de desempregados, 740 mil presos em presídios que mais parecem calabouços do século XV.
- D: Grande parte de nossos políticos, como senadores, deputados e ministros estão envolvidos com falcatruas.

Diante de um quadro tão dantesco, queremos alertar que só sairemos de vez desse longo túnel escuro da crise gerada pelos governos se os políticos tiverem coragem para tomar medidas fortes para ajustar a economia e as demais áreas. Nesse momento difícil, é necessário juntar forças para poder trabalhar no crescimento, fazendo medidas, leis e normas necessárias ao crescimento, cortando na carne do governo, e não do povo, especialmente onde sabemos que a administração pública foi horrível, deixando o país em estado de misericórdia.

Só sairemos dessa crise, se o governo possuir coragem e disposição para consertar, sem procurar sufocar a população. Não podemos esquecer que, na administração passada, os descalabros do governo nos fizeram retroceder 30 anos. Aliás, se o governo já tivesse tomado providências, com energia, há 10 anos, poderíamos ter segurado a dívida pública, que hoje está em quatro trilhões. Caso tal medida tivesse sido tomada, a dívida brasileira poderia ser hoje de 700 milhões, ou seis vezes menor.

A taxa de juros poderia estar na média mundial entre 4 a 5%, o desemprego poderia ser cinco vezes menos. Mas a deterioração das contas públicas por um governo gastador e corrupto, onde a má gestão e a corrupção tomaram conta de tudo, é um elemento altamente complicador.

Para concluir, temos certeza que a maioria da sociedade brasileira quer retornar ao crescimento com a geração de empregos. Cada um de nós tem suas responsabilidades nesse processo, sendo a do governo a maior de todas.
Na realidade, precisamos que os homens públicos deixem de lado projetos pessoais e disputas mesquinhas de poder e assumam o papel que lhes cabe no desenvolvimento da Nação e geração de riqueza para todos. Devemos isso aos nossos filhos, netos e ao futuro que está em nossas mãos.

* Empresário e autor do livro “Impossível é o que não se tentou”.


Reação dos Leitores





Envie o seu Comentário