19/04/2017 16:54:00

Fiscalização em Guanhães apreende animais ameaçados de extinção

Entre as espécies apreendidas, três eram ameaçadas de extinção: uma arara Canindé, um papagaio do peito roxo e um Pixoxó



Divulgação/ Semad


Os animais foram conduzidos para o Centro de Triagem de Animais Silvestres em Belo Horizonte e serão cuidados para serem reintroduzidos à natureza
Uma fiscalização rotineira realizada pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) na cidade de Guanhães apreendeu na terça-feira (18) 54 aves, dentre elas, três espécies ameaçadas de extinção: uma arara Canindé, um papagaio do peito roxo e um Pixoxó. O proprietário foi multado em R$ 105 mil.

A ação foi realizada pela Diretoria Regional de Fiscalização da Superintendência Regional de Meio Ambiente Leste Mineiro, com o apoio do 4º Pelotão da Polícia Militar de Meio Ambiente de Guanhães.

A fiscalização na residência do criador se deu a partir da identificação no Cadastro de Criadores Amadoristas de Passeriformes (SISPASS), de algumas transações suspeitas como, por exemplo, diversas transferências de pássaros.

Na residência, os fiscais encontraram irregularidades como anilhas falsificadas e adulteradas, animais mantidos em cativeiro de forma irregular, extravio de espécies, além da verificação de fraude e declarações falsas no sistema.

“Apesar de o criador ser registrado, encontramos diversas irregularidades, além de diversas anilhas de outros criadores, o que pode caracterizar indícios de crime”, diz o coordenador da operação, Daniel Colen.

Os animais foram conduzidos para o Centro de Triagem de Animais Silvestres em Belo Horizonte e serão cuidados para serem reintroduzidos à natureza.

“A recuperação de três aves ameaçadas de extinção foi de extrema importância nessa operação. É necessário conscientizar a população que, a partir do momento em que o homem continua com essa prática de retirada desses animais da natureza, vai chegar um momento em que esses animais serão extintos totalmente”, afirma Colen.

Segundo o coordenador da operação, o homem era um dos maiores criadores de pássaros da região, além de ser uma espécie de "despachante" de outros criadores. Ele foi conduzido pela Polícia Militar de Meio Ambiente à delegacia e responderá por crime de falsificação de selo público. A ocorrência será encaminhada à Polícia Civil para abertura de inquérito.


Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br


Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.
Envie o seu Comentário