25/04/2017 17:01:00

Libertadores



Hoje o Atlético terá mais um desafio na Taça Libertadores da América. E o time, que vem tentando se encontrar enquanto joga um futebol apático, precisa buscar uma vitória. O treinador Roger Machado terá dois problemas para resolver, pois no domingo já começa a decisão do Campeonato Mineiro e ele não poderá poupar jogadores.

Afinal, esta partida contra o Libertad, do Paraguai, é importantíssima para que o time vença e consiga voltar à liderança do seu grupo, ou se manter na segunda colocação, pois um tropeço pode complicar a situação do time na competição.

O Godoy Cruz é o líder, com sete pontos. Na segunda colocação vem o Atlético, com quatro pontos, e o Libertad, também com quatro pontos, na terceira colocação, perdendo no saldo de gols. Na lanterna está o Sport Boys, com apenas um ponto ganho.

Fred deve voltar ao comando do ataque na partida de hoje, com Rafael Moura ficando na suplência, mas a diretoria precisa agir rápido, pois Fred está suspenso e Rafael não joga a primeira partida na final do Mineiro, pois foi punido com o terceiro cartão amarelo. Assim, o jurídico do clube deve entrar com efeito suspensivo para que o treinador tenha o artilheiro do campeonato na disputa do título mineiro.

Roger Machado deve fazer algumas alterações na equipe, talvez mantendo o meia Marlone e deixando Cazares ou Danilo como opções no segundo tempo, ou deixar apenas dois jogadores no meio e apostar na dupla Fred e Rafael Moura iniciando a partida, dando maior poder de decisão ao time. Por outro lado, ele deve manter dois volantes ao menos no início da partida, como uma maneira de estudar o adversário que deve vir mais cauteloso para a partida, buscando no mínimo um empate para tentar decidir e conseguir a classificação em casa.

A realidade é que o time do Atlético é muito instável, e terá pouco tempo para corrigir este detalhe, pois o miolo da zaga não passa confiança ao time. Léo Silva tem dificuldade de acompanhar e dar cobertura aos laterais, e Gabriel ainda não é o jogador ideal neste setor. Rafael Carioca anda jogando muito mal, não faz a função de também ser o primeiro homem de combate, e este será o maior desafio do treinador do Atlético, tanto na Libertadores quanto nas duas partidas decisivas contra o Cruzeiro na decisão do estadual.

CAMPEONATO MINEIRO
Deu a lógica no Campeonato Mineiro, pois seria impensável que as duas equipes que mais investiram no futebol, que são consideradas as duas maiores do futebol de Minas, não estivessem na disputa do título, como ocorreu em 2015 e 2016, quando o time celeste não chegou à final.

Nas duas partidas do fim de semana, o Cruzeiro dominou o América e foi justo o placar, com o time celeste mais competente, utilizando bem as laterais do campo, administrando o resultado contra um time que não foi o retrato da primeira partida.

O time do Cruzeiro é mais acertado nos seus setores, com um meio campo bem fechado, deixa um meia de armação para distribuir bem as bolas, tem um ataque que se posiciona muito bem dentro da área, e encontra muitas facilidades para entrar nos espaços deixados pelos adversários. Acredito que o Cruzeiro seja o favorito para conquistar o título deste ano.

No primeiro tempo do seu jogo contra a URT, o Atlético foi o verdadeiro retrato do que o time não sabe o que fazer em campo. Muito lento, sem objetivos, totalmente sem noção do que possa produzir.

No segundo tempo, com algumas alterações, o time se mostrou mais disposto e envolvente, conseguindo um placar elástico e dominando as ações nos últimos 45 minutos, mas ainda assim não despertou confiança na torcida para a conquista de alguns títulos que irá disputar este ano.

E isto tem acontecido nos últimos três anos, um time que entra como favorito e faz uma grande festa, mas quando a bola rola não é o retrato que mostram para um time recheado de bons jogadores, ao qual falta principalmente conjunto.

E no atual momento de incertezas, em que vemos o time com um miolo de zaga que não nos inspira nenhuma confiança, eu não apostaria no time para vencer nenhuma competição. E ouso dizer que, se vier alguma conquista, com certeza será uma grande surpresa para mim.

CORRIDA DE RUA
Ela começou a praticar atividades físicas quando percebeu que precisava melhorar a sua saúde e buscar uma melhor qualidade de vida. E foi desta maneira que Mônica Maria de Oliveira Galli passou a dar exemplos de determinação, após vários anos praticando corridas de rua, comprovando que força de vontade e determinação fazem parte de sua rotina.

Assim, neste fim de semana não poderia ter sido diferente, na Corrida Viva + Ipatinga, e Mônica Galli conseguiu mais uma vez se destacar conquistando o 1º lugar geral na corrida de 10km.

Mônica já participou de várias competições esportivas pelo país afora, e a cada dia melhora a sua performance, sempre procurando aperfeiçoar a sua proposta de ser uma grande vencedora, no esporte e na vida. E ainda luta para tentar levar as suas filhas a acompanhá-la nesta modalidade, mas Camila e Isabela ainda não encararam o desafio de acompanhar a mãe em suas corridas pela cidade.

LEMBRANÇA
Eles foram importantíssimos para o futebol do Vale do Aço: Zé Pretinho, Osvaldinho, Ademir, Piau, Levy Castilho, Juruceir, Salvador Sarraia, Tunicão, Balbino, Furneca, Ismael, Eder Anício, Eros Trabach, Alemão, Marreto, Tião Guilherme, Zé Neves, Nino, Tony Marinho e Walmir.

Contato com a coluna: roberto50mg@hotmail.com.


Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br


Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.
Envie o seu Comentário