08/05/2017 17:02:00

Sinais de paz no horizonte




No fim de abril, a Usiminas deu uma pausa nas notícias que fomentam o ambiente bélico e anunciou lucro trimestral de mais de 100 milhões de reais após 10 trimestres de prejuízo. Com o retorno de Sérgio Leite à presidência, a expectativa aumenta para que a recuperação se mantenha e não seja simplesmente um ponto fora da curva.

Já no ambiente bélico, a Nippon sofreu nas últimas semanas reveses. A Juíza Soraya Brasileiro do TJ mineiro indeferiu o pleito de revisão/revogação da decisão do conselho da empresa de afastar o ex-presidente da empresa Romel Erwin de Souza. Por outro lado, outros movimentos dão sinais que esse ambiente não permanecerá por longo tempo. O conselheiro representante dos trabalhadores e aposentados, Luiz Carlos Miranda, tem tido conversas com o novo presidente da Nippon Steel no Brasil, Kazuhiro Egawa, e esse já demonstrou interesse em dar tratativas para conciliar as partes prol a manutenção de ambiente necessário a recuperação sólida da empresa.

Semana passada, o presidente Sérgio Leite visitou novamente a região participando de eventos da inauguração da unidade de oncologia pediátrica do Hospital Márcio Cunha, reunião com a associação dos aposentados, Câmara de Vereadores, Associação comercial, FIEMG, mesa redonda com jornalistas e até o relançamento do Ipatinga Futebol Clube. Quem sabe, dessa vez, o troca-troca de presidentes termina e a empresa seguirá sua vida em paz e se recupera de vez?

Enquanto isso...
Enquanto isso, os governos municipais tentam produzir resultados com o caixa vazio. As críticas eleitorais estão sendo cobradas pelos opositores e cidadãos. Independentemente da competência e ou negligência a queda das receitas próprias e repasses tornou um martírio os dois últimos anos dos governos anteriores. Agora, passados 100 dias dos novos governos, a sensação de que a coisa era mais feia do que se apresentava enquanto candidatos já provocou mudanças na rota de vários novos prefeitos. No Vale do Aço não é diferente.

Observa-se nas redes sociais estabelecido o mesmo “Fla x Flu” das campanhas eleitorais do ano passado. Em alguns municípios, os derrotados, hoje oposição, estão sempre conclamando a população a cobrarem promessas de campanha. Com pouco mais de 100 dias cobra-se o que deveria ser cobrado após os 04 anos do mandato. Outras cobranças, fazem até sentido. Mas, todas são permeadas pelo exagero e até ódio.

Bola dentro
Uma bola dentro que gostaria de apontar e consequentemente congratular é a decisão de o prefeito Sebastião Quintão de solicitar à Usiminas o acolhimento, em caráter provisório, de várias secretarias e do próprio gabinete no Escritório Central da empresa às margens da BR 381 entre o Shopping e a Estação Ferroviária. As estruturas do prédio da prefeitura foram condenadas pelo Corpo de Bombeiros e, realmente, estão precárias. Eu mesmo testemunhei, em 2015, quando passei por lá e observei o quanto externamente o prédio não reflete as suas condições internas. Piso dilacerado, paredes rachadas, rede elétrica instável, rede hidráulica com vários pontos eliminados por falta de sobressalentes, ar condicionado estragado e conservação/limpeza pouco frequentes.


Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br


Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.
Envie o seu Comentário