18/05/2017 15:00:00

Mais que cabelos “naturais”, um ato político e empoderador




Blogueira Vitória Rodrigues / Foto: One to One Fotografia


Nos últimos anos vimos muitas mulheres assumindo seus fios naturais, mas até que ponto esse assumir vai? É simplesmente um novo visual? Moda? Para muitas mulheres, assumir seus cabelos naturais vai além da estética, é um ato político e empoderador.

Uma pesquisa da Google divulgada em fevereiro deste ano revela que, em 2016, o número de pesquisas na internet relacionadas a assuntos ligados a cabelos cacheados superou a relacionadas a fios lisos pela primeira vez. A luta pela aceitação vem sendo cada vez mais falada e debatida em redes sociais e canais de vídeos.

Para a blogueira Vitória Rodrigues, ter os cabelos cacheados nunca foi um problema, até começar a surgir críticas e aí veio à vontade de alisar os fios. “Enquanto eu não tinha uma percepção da reação das pessoas diante do meu cabelo, eu não o considerava feio. Assim que as críticas começaram a surgir e serem mais frequentes, passei a acreditar que, realmente, meu cabelo não era bonito”, afirma a blogueira.

Conviver em uma sociedade que impõe padrões, o ser “diferente” ás vezes é visto como um desafio. “Naturalmente que, vivendo numa sociedade dentro dos padrões eurocêntricos, só poderia sofrer muito preconceito. Eu nunca me enquadrei nos estereótipos e quando criança não me sentia aceita, provocando uma baixa autoestima”, comenta.

Escolher se assumir nem sempre é uma decisão fácil, muitas mulheres simplesmente não se sentem confortáveis com seus cabelos naturais, “Com a maturidade e busca da minha identidade, aos 20 anos, decidi assumir quem eu realmente era de fato. Uma mulher negra, com cabelos crespos e que sabe que essas características não me definem como pessoa”, conta Vitória sobre sua transição.

Ao passar pelo processo de transição capilar e abandonar de vez os alisamentos, cria-se não só uma mudança física, mas também uma mudança na autoestima. “A partir do momento que comecei a aceitar meu cabelo natural, minha confiança e segurança foram aumentando e consequentemente minha autoestima foi se elevando. Porque não é só assumir um cabelo e sim deixar transparecer a minha identidade”.

Durante este processo de transição, Vitória resolveu criar um blog chamado Moça Cacheada e um canal no Youtube , onde compartilha sua experiência e procura ajudar a mulheres crespo-cacheadas a passarem por este processo de transição capilar. Em seu canal, Vitória dá dicas de produtos, penteados, roupas e depoimentos sobre autoaceitação.

“Estamos vivendo um relativo crescimento de representantes cacheadas/crespas em diversas campanhas publicitárias, por exemplo, é de se esperar que muitas pessoas achem que esse empoderamento seja apenas um modismo. Mas vale ressaltar que assumir os fios naturais não tem nada a ver com moda, e sim com a busca de representação das pessoas cacheadas/crespas nos meios midiáticos’’, conclui.

(Por Micaela Sousa)



CORTEI O CABELO!

MAIS FOTOS
Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br

Reação dos Leitores





Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.
Envie o seu Comentário