06/12/2017 18:05:00

Especialista da SkyWay vê chances de fábrica de cabines em Ipatinga

Proposta de sistema alternativo de transporte apresentada à AMVA e ao governo municipal é estudada em visita técnica à Usiminas



Secom/ PMI


Jan Braham reunido com autoridades municipais e o diretor da Usiminas, Roberto Maia, no Centro de Controle da siderúrgica
O holandês Jan Braham, especialista em transportes da empresa SkyWay, da Bielorrussia, que dialoga com a Associação dos Municípios da Microrregião do Vale do Aço (AMVA), e especialmente autoridades de Ipatinga sobre as perspectivas de implantação de uma fábrica junto ao polo siderúrgico local, cumpriu uma agenda de visitação à Usiminas e à Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) esta semana. A convite do grupo, o prefeito Sebastião Quintão visitou, recentemente, o EcoTechnoPark montado em Minsk, capital do país da Europa Oriental, onde funcionam os modernos veículos de carga e passageiros projetados. O prefeito determinou à Secretaria de Desenvolvimento e Turismo o acompanhamento das novas conversações com a empresa-âncora da cidade. Um grupo de vereadores também participou da agenda.

Conforme a administração municipal, o emissário da Sky Way circulou por toda a extensão dos oito quilômetros da planta da Usiminas, acompanhado pelo diretor Roberto Maia, e se interessou especialmente pelas linhas internas de transporte ferroviário, que somam cerca de 120 quilômetros nos limites da usina, viabilizando ligações de cada etapa do processo produtivo e conduzindo produtos até o pátio de despacho. Entre outras unidades, houve maior tempo para explanações no Centro de Controle e o Centro de Pesquisas.

Fábrica de cabines

O governo municipal informou que Jan Braham vê boas possibilidades de parceria com Ipatinga para a SkyWay instalar no município uma fábrica de cabines. Braham adiantou que Anatoly Yunitskiy, presidente da empresa e responsável pela prospecção do novo modelo de transporte com uso de trilhos e cabos suspensos, certamente virá à cidade nos primeiros meses de 2018 para avançar nas negociações. Conforme o enviado do grupo, Yunitskiy é engenheiro ferroviário, com mais de 120 patentes catalogadas na agência aeroespecial russa.

“Minha missão, agora, é prestar um relatório completo de tudo o que vi e conheci em Ipatinga. Um de meus objetivos principais na vinda ao Brasil é preparar o mercado investidor”, resumiu o holandês.

Modelos

A administração de Ipatinga informou que as três principais vertentes de transporte desenvolvidas pela SkyWay são a Unibike, bicicleta para três passageiros, um “ônibus” com capacidade para transportar de 14 a até 120 pessoas e um sistema de trilhos duplos, com opções de funcionamento simultâneo do transporte de cargas e passageiros. Jan Braham ainda falou de uma tecnologia facilitadora de abastecimento e retirada de cargas em navios, com trilhos avançados em até 50 km no mar.

Os principais atrativos do sistema seriam as vantagens ecológicas, segurança e o custo de operacionalização, “dez vezes menor”, podendo substituir, em muitos casos, as formas tradicionais de transporte, representando economia de frete e ainda o desafogamento de rodovias.

As estimativas mais recentes apontam que o número de mortes em acidentes nas estradas será superior a 1,7 milhão até 2020, se medidas drásticas não forem tomadas em um futuro próximo. As mortes nos acidentes com pessoas com idade entre 15 e 44 anos atingem a marca de 60%.

Financiamento

Como qualquer empreendimento ambicioso, o projeto SkyWay busca captação de financiamentos. A ideia é incutir no mercado as vantagens de multiplicação do capital por meio da valorização das ações. Paralelamente, segundo Jan Braham, já estão em vias de implantação duas fábricas na Índia, uma na Indonésia – com abrangência de 20 cidades - e outra na Austrália, “onde também existem promissores campos para uso da tecnologia”, pontua Braham.

Na Fiemg, o holandês foi recepcionado pelo vice-presidente regional, Flaviano Gaggiatto, e pôde conhecer, também, a capacidade de profissionalização de mão de obra no Vale do Aço em uma série de especialidades.


Encontrou um erro? Comunique: falecomoeditor@diariodoaco.com.br


Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.
Comentários

Luiz

07 de Dezembro, 2017 | 14:08
uma pergunta: onde esperam operar esses equipamentos ? malha ferroviaria tanto em cidades como inter estaduais sao sofriveis, bitolas diferentes de lugar para lugar, quanto de investimento o setor público teria de levantar para viabilizar ? sinceramente, acho que essas visitas não sairão disso... outro detalhe, hoje , VLT´s no Brasil, os publicos, sao operados por Alstom Caf, Vosloo, sao todas gigantes, e ha a questao de licitaçao para fazer tudo isso....
Envie o seu Comentário