28 de março, de 2024 | 05:55

Ronaldo Fenômeno recebe o título de cidadão honorário do Estado

História de superação do ex-jogador e sua relação com o Cruzeiro e Minas Gerais foram destacadas em solenidade no Plenário

Ronaldo recebeu do presidente Tadeu Martins Leite e do deputado Professor Cleiton o título de cidadão honorário de Minas Gerais. Foto: Elizabete Guimarães/ALMGRonaldo recebeu do presidente Tadeu Martins Leite e do deputado Professor Cleiton o título de cidadão honorário de Minas Gerais. Foto: Elizabete Guimarães/ALMG

Ex-jogador e agora proprietário do Cruzeiro, Ronaldo Nazário, o “Fenômeno”, recebeu o título de cidadão honorário do Estado nesta quarta-feira (27/3/24), em solenidade no Plenário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

A homenagem foi solicitada pelo deputado Professor Cleiton (PV) e endossada por outros 25 parlamentares, pelos relevantes serviços prestados ao Estado pelo ex-atleta e atual empresário.

Considerado um dos maiores jogadores de futebol de todos os tempos, Ronaldo Luís Nazário de Lima, nascido no Rio de Janeiro, se profissionalizou no Cruzeiro, em 1993, com 16 anos.

Pelo clube mineiro, foram 56 gols em 58 jogos. Ele integrou o elenco campeão da Copa do Brasil de 1993 e foi o artilheiro no título do Campeonato Mineiro de 1994. No mesmo ano, ainda como jogador da Raposa, foi convocado para a Copa do Mundo nos Estados Unidos.

Em seu pronunciamento, Ronaldo destacou que em Minas nasceu para o mundo e entrou em campo pela primeira vez como jogador profissional. “Aqui tive a certeza de que meus sonhos eram possíveis e daqui parti para conquistá-los", afirmou Ronaldo Fenômeno

De ex-jogador a proprietário do Cruzeiro



“Do Cruzeiro recebi a maior oportunidade da minha vida. Escrevemos juntos um lindo capítulo de superação”, disse, ao lembrar o momento delicado pelo qual passava o clube quando anunciou a aquisição de 90% das ações da recém-criada Sociedade Anônima de Futebol (SAF) do Cruzeiro, em dezembro de 2011.

No comando da Raposa, ele conseguiu o título da Série B do Campeonato Brasileiro em 2022, após o clube passar três anos na segunda divisão, e a classificação em 2023 para a Copa Sul-Americana da temporada seguinte.

O deputado Professor Cleiton (PV) enalteceu o talento e a genialidade do Fenômeno, que perpassará gerações. Ele também comentou o legado do ex-jogador, que vai além das quatro linhas.

“Ao se tornar sócio majoritário do Cruzeiro, demonstrou seu compromisso inabalável com o futuro do futebol mineiro. Não foi apenas um investimento, mas um gesto de amor e dedicação ao clube, que representa a alma e a identidade de ser mineiro.”

Também o presidente da Assembleia, deputado Tadeu Martins Leite (MDB), lembrou a história de superação do ex-atleta, que teve sua carreira colocada em risco por graves lesões nos joelhos, e sua relação com o Estado, como jogador e dirigente. “Olhando para trás, depois de toda esta jornada nos grandes palcos do mundo, podemos dizer que uma parte de Ronaldo está definitivamente ligada a Minas Gerais”, frisou.

“Quando falamos em fenômeno, pensamos em um fato ou acontecimento notável. O apelido que ele recebeu não poderia ter sido outro, reflete exatamente o que ele representa na história do esporte”, concluiu Tadeu Martins Leite.

Ronaldo recebeu de ambos os parlamentares o título de cidadão honorário de Minas Gerais. Também acompanharam a solenidade os deputados Sargento Rodrigues (PL) e Coronel Henrique (PL) e as deputadas Ana Paula Siqueira (Rede) e Ione Pinheiro (União).

Antes do encerramento, o locutor Osvaldo Reis, o “Pequitito”, da rádio Itatiaia, narrou o que seria um gol histórico de Ronaldo pelo Cruzeiro, depois de infernizar a defesa adversária em companhia de ídolos de diferentes épocas, como o ex-lateral Nonato, que marcou presença na homenagem.

O rapper Das Quebradas, autor do canto que entoou a campanha do retorno do Cruzeiro à primeira divisão, fechou a solenidade em clima de festa, presentando a música que compôs em homenagem ao Fenômeno.

Carreira
Em 18 anos de carreira, Ronaldo também atuou pelo PSV, da Holanda, por Barcelona e Real Madrid, da Espanha, por Milan e Internazionale de Milão, da Itália, e pelo Corinthians, do Brasil.

Entre os principais títulos que consquistou, destacam-se a Copa da Uefa de 1997, a Copa América de 1997 e de 1999, o Mundial de Clubes de 2002 e as Copas do Mundo de 1994 e de 2002. Ele foi eleito o melhor jogador do ano pela Fifa em três oportunidades: 1996, 1997 e 2002.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]
MAK SOLUTIONS MAK 02 - 728-90

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Stop

31 de março, 2024 | 20:32

“Este titulo é distribuído ao léu o critério é subjetivo afinal muitos professores que dão o sangue nas ESCOLAS não são reconhecidos são pessoas alibadas que mereci e muito ser mais reconhecido pela sociedade”

Envie seu Comentário