PREF BELO ORIENTE MAIO LARANJA 02 - 728X90

17 de abril, de 2024 | 17:07

Inquérito indicia quatro pessoas por disseminação de notícia falsa em Santana do Paraíso

Arquivo DA
O caso foi parar na Delegacia de Polícia, os envolvidos foram identificados e o inquérito concluiu pelo indiciamento de quatro pessoas O caso foi parar na Delegacia de Polícia, os envolvidos foram identificados e o inquérito concluiu pelo indiciamento de quatro pessoas

Que a internet não é terra sem lei, todos sabem. Igualmente, todos os cidadãos deveriam saber que a liberdade de expressão não é ilimitada e quem se expressa nas mídias sociais ou em qualquer outro meio de difusão da informação deve se responsabilizar pelo conteúdo daquilo que manifesta. Pois em Santana do Paraíso, ignorando esses princípios elementares, quatro pessoas foram indiciadas em inquérito da Polícia Civil por disseminar notícias falsas. As “fake news” tiveram como alvo o prefeito Bruno Campos Morato e outros três integrantes do governo municipal.

Tudo começou em 11 de novembro de 2023, quando começou a circular pelas mídias sociais e grupos de WhatsApp um vídeo com uma edição (montagem) em que pessoas afirmavam que secretários municipais tinham montado uma quadrilha para a prática de corrupção e lavagem de dinheiro na Prefeitura de Santana do Paraíso.

As vítimas registraram um Boletim de Ocorrência na sede da Companhia da Polícia Militar no município e o caso foi encaminhado para a Delegacia de Polícia Civil. Durante três meses de investigação, todos os envolvidos foram identificados.

Para se chegar aos autores das postagens, a Polícia Civil pediu a quebra do sigilo telefônico para identificação das pessoas que manuseavam aparelhos por meio dos quais disseminavam as notícias falsas. Algumas delas usavam nomes falsos.

A primeira a depor foi uma mulher. Chamada a prestar depoimento em 23 de janeiro deste ano, L.M.M., de 45 anos, admitiu que compartilhou em um grupo de WhatsApp um vídeo que recebeu em um grupo de fofocas no aplicativo, em que secretários são denunciados por corrupção. Ela afirma que, mesmo sem saber se o conteúdo do vídeo era falso ou verdadeiro, o compartilhou com outros grupos. Também admitiu que o objetivo era mesmo o de "fazer politicagem".

Outro depoente, R.O.T., de 30 anos, foi chamado a prestar depoimento e manifestou o desejo de permanecer em silêncio. Contra o investigado há duas denúncias de disseminação de notícias falsas.

Um terceiro depoente, H.T.F., de 56 anos, igualmente foi chamado a prestar depoimento no âmbito do inquérito da disseminação de fake news e igualmente optou por permanecer em silêncio.

Também foi chamado a depor S.M.C., de 37 anos. A exemplo dos outros três investigados, disse que preferia ficar em silêncio.

Ao fim do inquérito, o delegado Leonardo Félix Damasceno indiciou os três homens investigados nos crimes previstos nos artigos 138 e 140 do Decreto Lei 2848/40, que tipificam os crimes de calúnia e injúria. Já a mulher foi indiciada conforme o artigo 139 da mesma lei 2840/40, pelo crime de difamação, com o agravante de ter sido praticado contra funcionário público.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Sousa

18 de abril, 2024 | 17:11

“estamos vivendo no tempo ,que lembra um outra época, em que generais determinavam o que podia ser dito ou não, injuriar e defamar ,é crime,"fake news" não existe no codigo penal Brasileiro ! e nos Brasileiros clamamos por liberdade assim como é ,em País de primeiro mundo, ha exemplo do EUA ! a nossa saudosa PCMG ta de parabéns ao trabalho que lhe foi conferido, fosse eu delegado um TCO bastava ,mover todo uma estrutura do judiciario por causa de uma fofoca de zap ,é no minimo assustador, a que ponto chegou nosso Brasil !que todo esse empenho seja usado pra desvendar todo tipo de crime, que lamentavelmente não são solucionados !”

Eu Eu Mesmo e Irene

18 de abril, 2024 | 07:13

“Fake news é crime. Que sejam punidos no rigor da lei e aprendam que nenhum direito é absoluto.”

Roque

17 de abril, 2024 | 22:56

“Que isso, será que vão investigar tão bem assim as dezenas de furtos que tem acontecido em Santana do Paraiso? Vamos aguardar por melhores dias”

Liliane

17 de abril, 2024 | 20:55

“Inveja ..o Dr bruno.morato está fazendo um belíssimo trabalho no município,pena que não tem residência em Ipatinga e ser o prefeito de la..essa oposição tá com inveja.”

Valdecir

17 de abril, 2024 | 19:40

“Lá em Virgolândia minha vó já dizia: não se deve cutucar o capeta com bara curta.”

Envie seu Comentário