09 de julho, de 2024 | 05:40

Homem que tentou matar a ex-esposa grávida é condenado a 17 anos de prisão

Réu foi levado a julgamento na Comarca de Inhapim nesta segunda-feira e saiu algemado do Fórum Anastácio Chaves

Divulgação
Crime contra a vida praticado em 2007 será julgado pelo Tribunal do Júri da Comarca de Inhapim na próxima segunda-feira  Crime contra a vida praticado em 2007 será julgado pelo Tribunal do Júri da Comarca de Inhapim na próxima segunda-feira

Levado ao Tribunal do Júri Popular na Comarca de Inhapim, nesta segunda-feira (8), Cláudio Antonio Pereira de Faria, de 40 anos, foi sentenciado a cumprir 17 anos de prisão por tentativa de homicídio praticada contra sua ex-esposa grávida. O Conselho de Sentença acolheu integralmente a sustentação feita pelos Promotores de Justiça Jonas Junio Linhares Costa Monteiro e Humberto Henrique Rufino, condenando o acusado. A pedido do Ministério Público de Minas Gerais, a Juíza do Tribunal do Júri decretou a prisão em plenário do réu, iniciando, portanto, imediatamente o cumprimento da pena. Cláudio respondeu ao processo em liberdade, mas saiu do salão do júri algemado, após proferida a sentença.

Consta no processo que a vítima tinha 27 anos quando sofreu o atentado contra a vida e já estava separada do homem, com quem havia mantido uma relação anteriormente.

De acordo com a denúncia apresentada pelo Ministério Público de Minas Gerais, o crime ocorreu em 4 de outubro de 2007, por volta das 18h, dentro de um estabelecimento comercial na Avenida José Antônio Santana, no Centro de São Sebastião do Anta.

O acusado, então com 23 anos, procurou a vítima em seu local de trabalho, alegando que queria conversar. No entanto, ele desferiu vários golpes de tesoura na altura da cintura da ex-esposa, além de chutes na região abdominal, deixando-a desmaiada.

A vítima estava grávida na época, e o crime só não se consumou graças à intervenção da patroa dela. A patroa jogou uma pedra contra o agressor, que fugiu logo após o ocorrido. Em seu interrogatório na Delegacia de Polícia, o acusado confessou que pretendia matar o filho que a vítima esperava, pois suspeitava que a criança não era dele.
Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]
MAK SOLUTIONS MAK 02 - 728-90

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Eu Eu Mesmo e Irene

09 de julho, 2024 | 16:39

“Tanta mulher no mundo, mas o feminicidio não dar tréguas no Brasil. Números altíssimos. Como disse José, mulher não é propriedade, nem nós somos de nós mesmos, no final, acabamos ficando sem nossos corpos.”

Ajf

09 de julho, 2024 | 15:10

“Tenho visto e acompanhado o trabalho do promotor Jonas e fico até iludido com a verdadeira justiça. Parabéns, que Deus continue te abençoando e te guie sempre nos caminhos da justiça plena pois a sociedade clama por postura decente e invejável como deste promotor.”

Jackson

09 de julho, 2024 | 11:42

“Quero mais uma vez dar meus parabéns ao doutor Jonas ,homem honesto e justo , faz a justiça ser justiça, doutor Jonas me ajudou muito juntamente com doutor Fernando delegado de Ipatinga fizeram tudo o que podia , quando estava a frente do caso do meu irmão jaquesley advogado assasinado en Santana do paraíso,, no ano de 2020 até hoje a corregedoria da polícia civil não solucionou o caso . Meus parabéns diário do aço jornal serio”

Rx

09 de julho, 2024 | 07:43

“Parabéns pelo judiciário.
Mas cá pra nós que país é esse em aguardando em liberdade esse tempo todo.”

José Oliveira

09 de julho, 2024 | 07:22

“Esse se lascou. Perdeu a cabeça, em vez de largar a mulher, arrumou esse BO. Condenado à prisão aos 40 anos, no áuge de sua vida, momento de aproveitar a experiência adquirida, o que tiver conquistado, foi gastar com advogados e agora enfrentar o cheiro de uma cela. Por isso que falo: otário é o homem que fica dando mole acreditando em mulher. Aí acha que a pessoa é propriedade e faz uma lambança deste porte.”

Tião Marreta

04 de julho, 2024 | 21:41

“No olho do furacão
Na ilha da fantasia
Quanto vale a vida?”

Envie seu Comentário